sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Reencarnação- Os laços de família não se rompem?

7- SOMENTE COM ELA (REENCARNAÇÃO) OS LAÇOS DE FAMÍLIA NÃO SE ROMPEM








205. A algumas pessoas a doutrina da reencarnação se afigura destruidora dos laços de família, com o fazê-los anteriores à existência atual.
“Ela os distende; não os destrói. Fundando-se o parentesco em afeições anteriores, menos precários são os laços existentes entre os membros de uma mesma família. Essa doutrina amplia os deveres da fraternidade, porquanto, no vosso vizinho, ou no vosso servo, pode achar-se um Espírito a quem tenhais estado presos pelos laços da consanguinidade.” (Allan Kardec- O Livro dos Espíritos -FEB-pgs 135,136)

            Como vimos no texto acima, a Doutrina Espírita preconiza em seus ensinamentos “consoladores” que em razão da possibilidade que o dogma da reencarnação oferece os laços de família não se rompem, ao contrário, se fortalecem cada vez mais, tendo em vista o aprimoramento de todos aqueles que viveram, vivem e viverão na mesma família.
            O fato de entender, os seus adeptos, que os laços de família não se rompem não faz com que tenham total convicção disso, pois de acordo com os seus ensinamentos as famílias espirituais são formadas de espíritos amigos, por identificação de preferências, desejo de evolução e em alguns casos podem ser compostas até mesmo por antigos inimigos que ao contato com eles poderão, dessa forma, evoluírem e virem a viver em harmonia com o restante dos membros dessa “família”.
            É fato também, que a Doutrina Espírita afirma que apesar de termos lembrança de todas as existências passadas, acabamos nos lembrando efetivamente somente daquelas que nos são úteis. Dessa forma, quando, decorridas infinitas existências, depois de termos infinitos irmãos, irmãs, etc.; de sermos nós mesmos, pais de nossos antigos pais, e assim por diante; e também de acreditar que no mundo espiritual os espíritos desencarnados não têm vida sexual, pois são assexuados, e que poderemos iniciar novos grupos familiares, serão forçados, os seus admiradores dessa teoria, a aceitar que na realidade só existe uma família em todo o Universo.
            Diante de todos estes argumentos controversos, acreditam ainda, que os laços da família humana não se rompem, muito embora as suas próprias afirmações conduzam à negação dessa teoria.


a) - Ela, no entanto, diminui a importância que alguns dão à genealogia, visto que qualquer pode ter tido por pai um Espírito que haja pertencido a outra raça, ou que haja vivido em condição muito diversa.

“É exato; mas essa importância assenta no orgulho. Os títulos, a categoria social, a riqueza, eis o que esses tais veneram nos seus antepassados. Um, que coraria de contar, como ascendente, honrado sapateiro, orgulhar-se-ia de descender de um gentil-homem devasso. Digam, porém, o que disserem, ou façam o que fizerem, não obstarão a que as coisas sejam como são, que não foi consultando-lhes a vaidade que Deus formulou as leis da Natureza.” (Cont. da pergunta 205- Allan Kardec- O Livro dos Espíritos –FEB-pg 146)
            A Palavra de Deus nos revela que ao nos tornarmos filhos de Deus, passamos a fazer parte de uma nova família, pois quando fomos criados por Deus, fazíamos parte de uma família gerado sob o pecado, ligada ao mundo, e dela fomos resgatados para fazermos parte de uma família universal, espiritual.
            Mediante o reconhecimento e a aceitação do Senhorio de Jesus, passamos a ter esse privilégio inaudito de nos tornarmos filhos e não sermos mais considerados como criaturas de Deus.
            Se entendermos que agora somos integrantes de uma nova família, não mundana, mas espiritual, e a ela nos reuniremos eternamente no mundo espiritual, tentaremos de todas as formas fazer com que os nossos familiares que ainda não fazem parte dessa família (não reconheceram a Jesus como Senhor e Salvador) também consigam adquirir esse direito e possam fazer parte dessa família real, onde todos viverão em perfeita harmonia, servindo, louvando e adorando ao Senhor da Glória.
            Seria muito difícil aceitarmos, na eternidade, a continuidade de nossas famílias, nos moldes existentes aqui da terra. Como poderíamos ser felizes, ao saber que alguém muito querido de nosso convívio – um parente ou amigo -  relutasse em reconhecer a Jesus como Salvador pessoal e acabasse morrendo sem conseguir fazê-lo, tendo como conseqüência de seu impensado ato o banimento eterno da presença do Pai e nós como filhos de Deus, lavados e remidos no sangue do Cordeiro que tira os pecados do mundo, Jesus Cristo, estivéssemos com Ele em um lugar glorioso, maravilhoso, imaginando que esse nosso ente querido estivesse sofrendo e continuaria sofrendo ETERNAMENTE?
            Quando morremos, perdemos a consciência de quem fomos durante a nossa existência física, sabemos apenas que somos filhos de Deus, conhecemos novos irmãos em Cristo e passamos a fazer parte de uma nova família, porém sem uniões conjugais como acontece no mundo físico. Não teremos infelicidades, lutas, dores ou sofrimentos; viveremos para Louvar a Deus, pois para isso fomos criados.

“de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas, tanto as do céu, como as da terra; nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade, a fim de sermos PARA LOUVOR da sua glória, nós, os que de antemão esperamos em Cristo; em quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo Espírito da promessa; o qual é o penhor da nossa herança, ao resgate da sua propriedade, EM LOUVOR DA SUA GLÓRIA.” (Efésios 1.10-14)

            Com o desejo de ridicularizar a veracidade da ressurreição, os saduceus do tempo de Jesus, questionaram-lhe acerca desta doutrina, propondo-lhe o caso de uma mulher que tivera vários maridos durante a sua vida e após a sua morte,  de qual deles seria ela mulher no mundo espiritual. Vejamos a resposta dada pelo Senhor Jesus:

“Naquele dia, aproximaram-se dele alguns saduceus, que dizem não haver ressurreição, e lhe perguntaram: Mestre, Moisés disse: Se alguém morrer, não tendo filhos, seu irmão casará com a viúva e suscitará descendência ao falecido. Ora, havia entre nós sete irmãos. O primeiro, tendo casado, morreu e, não tendo descendência, deixou sua mulher a seu irmão; o mesmo sucedeu com o segundo, com o terceiro, até ao sétimo; depois de todos eles, morreu também a mulher. Portanto, na ressurreição, de qual dos sete será ela esposa? Porque todos a desposaram. Respondeu-lhes Jesus: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus. Porque, na ressurreição, nem casam, nem se dão em casamento; são, porém, como os anjos no céu. E, quanto à ressurreição dos mortos, não tendes lido o que Deus vos declarou: Eu sou o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó? Ele não é Deus de mortos, e sim de vivos.” (Mateus 22.23-32)

            Deus não poderia criar nada que fosse contrário ao agrupamento familiar, visto que a família é uma instituição divina, e para isso fomos resgatados do mundo, porém, só podemos fazer parte dessa família universal se reconhecermos a Jesus como Senhor de nossas vidas e, isso é a própria Palavra de Deus e o Espírito Santo que nos testificam.
Acompanhemos os textos a seguir, para identificarmos aqueles que farão parte dessa imensa família:

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, AOS QUE CRÊEM NO SEU NOME;” (João 1.12)

“O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que SOMOS FILHOS DE DEUS.” Romanos 8.16)

“Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos CHAMADOS FILHOS DE DEUS. Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo.” (I João 3.1)

            Se quisermos fazer parte desta grande família, só temos um caminho a seguir: Reconhecer a Jesus como sendo nosso Senhor e Salvador pessoal.
De nada nos adiantará ter “contato” com entidades espirituais; tentar formar uma família no “céu” para voltar a terra ou recorrermos ao “departamento de reencarnações” existente no mundo espiritual como é propagado pela Doutrina Espírita.
            Como pudemos observar pelos textos apresentados, o Único caminho que nos conduz à presença e ao perdão divino é Jesus Cristo e deve ser seguido nesta existência porque não haverá nova oportunidade. Não devemos esquecer e muito menos negligenciar isso, pois dessa compreensão depende a situação que encontraremos na eternidade: Vida ETERNA de paz, harmonia e regozijo na presença de Deus ou Sofrimento ETERNO, choro e ranger de dentes ocasionados pelo afastamento compulsório da presença de Deus.
            A escolha é nossa. Deus já fez a parte dEle ao enviar Seu amado Filho, Jesus Cristo, para que morresse por nós e nos reconduzisse e nos reconciliasse com Ele.
Como disse Moisés antes de sua morte ao povo Hebreu: “Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, amando o SENHOR, teu Deus, dando ouvidos à sua voz e apegando-te a ele; pois disto depende a tua vida e a tua longevidade; para que habites na terra que o SENHOR, sob juramento, prometeu dar a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó.” (Dt 30.19,20)
Sempre juntos em Jesus

Antonio Carlos

4 comentários:

  1. Precisamos cair na Real, não nascemos do excremento. Somos criação de uma mente perversa e sem escrúpulo, basta ver o potencial de maldade que foi depositado dentro de nós. Este criador, nos criou com apenas uma intenção provar ao seu Criador, que era capaz. Exatamente pelo mesmo motivo que construímos nossas coisas, buscamos reconhecimento. Mas tem um agravante, este criador perverso, está defendendo uma causa jurídica pessoal, frente a uma corte celestial. Ele alega que foi injustiçado pelo amor daquele que o criou. E está nos usando para contar sua versão dos fatos. Acontece que infelizmente Ismael (Árabes e Isaque Israel), são seus principais atores. A mensagem é clara o filho primogênito, Ismael (Representante de Jeová Criador da Matéria), foi desconsiderado diante da comunidade celestial por um erro de seu pai. E o filho Isaque (Jesus a plenitude do amor do Altíssimo) foi por isso odiado por seu irmão Jeová, que o matou em seus sentimentos. Como conseqüência houve uma batalha no céu, os seguidores de Jeová, batalharam contra os seguidores de Jesus. Dessa batalha espiritual, dois terços do céu permaneceu fiel a Jesus, e um terço veio para as trevas exteriores com Jeová. Deu-se assim o universo físico que conhecemos. Um falso mundo que está rapidamente se extinguindo na imensidão de trevas. A audiência está marcada é o juízo final. Jeová apresentará os acontecimentos em seu mundo perecível, como prova da sua inocência. Esses acontecimentos formam a história sagrada dos povos que descendem de Abraão. Na última cena desse drama, está a batalha pela primogenitura, realizada pelos descendentes de Ismael, contra os descendentes de Isaque. No último momento dessa batalha a humanidade será julgada pelo seu criador. Infelizmente, de acordo com Jesus Cristo em João capítulo 16, Jeová, foi vencido em seus argumentos em seu próprio drama. Porque Jesus preferiu morrer a romper com o amor ao Pai Celestial, e demonstrou que amava seus semelhantes acima de sua vida. Com isso, Jeová Lúcifer, perdeu sua causa e admitiu sua derrota. E como auto sentença, permanecerá nas trevas exteriores com dois terços dos seres humanos que não conseguiram repetir o feito de Jesus Cristo. Enquanto um terço compreenderá. E seguirá novamente para glória com Deus. Para a dimensão que não conhecemos, mas que se abrirá em breve para que todos possamos visualizar, após a batalha final e o juízo final, quando Jesus nos receberá nas nuvens de forma triunfante (Mateus cap. 24). Por coincidência esse um terço que está retornando são os mesmos que saíram do céu com Jeová Lúcifer. E os dois terços que nas trevas exteriores ficarão com Jeová, são seus, criados a partir de seu ser, os quais não conhecem o pleno amor de Deus em Jesus Cristo nosso salvador e libertador. Eu vou, você não vai?
    Portanto, eis os avisos que Jesus tem nos dado: Quem mora em edifício, exija meio de fuga rápido. Porque até o momento final, não ficará um edifício de pé. Porém será progressivo o problema. Quem mora perto de praia, progressivamente o mar tomará todas as áreas baixas e a seu nível. Haverão tufões, furacões, maremotos e todo tipo de coisas horríveis, que acontecerão progressivamente. Quem mora nas terras elevadas serão visitado por raios, chuva de pedra, vendavais e coisas terríveis dessa natureza. Tudo que Jeová já praticou antes e foi relatado nas Sagradas Escrituras, agora será em escala universal. Quanto as guerras, infelizmente, progressivamente iremos ao dilúvio de fogo. Pedimos que visitem nosso blog e nossas páginas para que possam compreender tudo que aqui está escrito. Clique em Martins111.

    ResponderExcluir
  2. Caro João Martins!
    Obrigado pela visita e pelo comentário, ele nos mostra a que nível de interpretação bíblica estamos chegando nesses tempos finais.
    Poderia analisar o texto de forma geral, mas realmente não valeria a pena nesse momento, tendo em vista que você já começou a sua exposição de forma totalmente contrária à Palavra de Deus.
    A Palavra de Deus nos ensina que fomos criados à imagem e semelhança de Deus, muito embora você creia ser filho do diabo como expressa nessas palavras: “Somos criação de uma mente perversa e sem escrúpulo, basta ver o potencial de maldade que foi depositado dentro de nós. Este criador, nos criou com apenas uma intenção provar ao seu Criador, que era capaz.”
    Procurei saber de onde essas idéias poderiam surgir e fui procurar em primeiro lugar o seu perfil. Nele consta:
    “Quem sou eu
    “Sou formado em Direito pela Universidade do Sul de Santa Catarina. Onde defendi o tema: A JUSTIÇA NAS SAGRADAS ESCRITURAS SOB A ÓTICA DE KELSEN E BITTAR. Desde então, sou Missionário do Ministério da Justiça do Senhor Jesus Cristo. Trabalho gratuitamente em minha missão. Meu salário é minha salvação e a salvação dos que compreendem a Justiça absoluta de Jesus Cristo. Minha família são todos aqueles que iguais a mim estão a serviço de Jesus Cristo.”
    Vemos o mundo repleto de falsos mestres e falsos profetas e infelizmente, vejo em suas palavras que você está enquadrado nessa profecia.
    Você coloca Jesus e o diabo no mesmo nível espiritual e que no fundo haveria entre eles uma disputa de egos para se mostrar qual deles é o melhor.
    Querido amigo, por favor, desconsidere o que você chama de “missionário cristão”, pois com esses ensinamentos você pode ser o que achar que é, menos um missionário cristão. Se as idéias que você expos aqui e em seus espaços na internet forem fruto reais de seu entendimento das Escrituras sagradas, você afronta os verdadeiros Missionários que têm muitas vezes perdido suas vidas em países onde o senhor nem ousaria entrar.
    Volte a advogar ou então procure analisar a Palavra de Deus sob a ótica de verdadeiros homens de Deus e não de juristas que apesar de sua inegável capacidade, como é o caso de Hans Kelsen, judeu austríaco, perseguido pelo nazismo e com trabalhos reconhecidos na área jurídica não pode ser tomado como melhor exemplo para “legislar” em assuntos teológicos.
    Vejamos o que o apóstolo Paulo nos diz sobre essa forma de “revelação divina”
    “Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém. Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo. Eu, porém, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, e sim como a carnais, como a crianças em Cristo. Leite vos dei a beber, não vos dei alimento sólido; porque ainda não podíeis suportá-lo. Nem ainda agora podeis, porque ainda sois carnais.” (I Co 2.14-16;3.1-2)
    Não posso dizer que fico revoltado por ver a Palavra de Deus tão deturpada assim, mas antes entristecido, porque alguém com inegável capacidade intelectual e com meios disponíveis para levar uma mensagem realmente salvadora e consoladora aos corações, fique divagando e divulgando inverdades como você tem feito.
    Peço a Deus que o Espírito santo possa realmente revelar a verdade ao seu coração, fazendo com que você abandone idéias tão absurdas e contrárias à Palavra de Deus e o propósito a que Ela se destina.
    Entristecido, mas esperançoso, peço ao Senhor que te dê entendimento e sabedoria para buscá-Lo em Espírito e em Verdade, pois a Verdade revelada que é Jesus Cristo nos basta para sabermos quão grande amor o Senhor tem por cada um de nós.
    Antonio Carlos

    ResponderExcluir
  3. Hoje precisei vir aqui receber um pouco da sua energia...
    com carinho
    Hana

    ResponderExcluir
  4. Querida irmã Hana!
    É sempre um prazer receber sua visita e comentários.
    Volte sempre, você é importante pra todos nós.
    Quando puder visite também o "procurando os perdidos" (www.procurandoosperdidos.com)
    Sempre juntos em Jesus.
    Antonio Carlos

    ResponderExcluir

CONHECENDO O INIMIGO

C omo dissemos anteriormente, estaremos transferindo as postagens referentes ao Tema "Reencarnação- Farsa ou Realidade?" que hav...