sexta-feira, 7 de setembro de 2018

Os mortos podem nos ajudar?

Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos, que chilreiam e murmuram entre dentes; não recorrerá um povo ao seu Deus? A favor dos vivos interrogar-se-ão os mortos?” (Isaías 8.19- Edição revista e corrigida)




“Podem evocar-se todos os Espíritos: os que animaram homens obscuros, como os das personagens mais ilustres, seja qual for a época em que tenham vivido; os de nossos parentes, amigos, ou inimigos, e obter-se deles, por comunicações escritas ou verbais, conselhos, informações sobre a situação em que se encontram no Além, sobre o que pensam a nosso respeito, assim como as revelações que lhes sejam permitidas fazer-nos.” (O Livro dos Espíritos- Allan Kardec- FEB- pg 26)
935. Que se deve pensar da opinião dos que consideram profanação as comunicações com o além-túmulo?
“Não pode haver nisso profanação, quando haja recolhimento e quando a evocação seja praticada respeitosa e convenientemente. A prova de que assim é tendes no fato de que os Espíritos que vos consagram afeição acodem com prazer ao vosso chamado. Sentem-se felizes por vos lembrardes deles e por se comunicarem convosco. Haveria profanação, se isso fosse feito levianamente.”
A possibilidade de nos pormos em comunicação com os Espíritos é uma dulcíssima consolação, pois que nos proporciona meio de conversarmos com os nossos parentes e amigos, que deixaram antes de nós a Terra. Pela evocação, aproximamo-los de nós, eles vêm colocar-se ao nosso lado, nos ouvem e respondem. Cessa assim, por bem dizer, toda separação entre eles e nós. Auxiliam-nos com seus conselhos, testemunham-nos o afeto que nos guardam e a alegria que experimentam por nos lembrarmos deles. Para nós, grande satisfação é sabê-los ditosos, informar-nos, por seu intermédio, dos pormenores da nova existência a que passaram e adquirir a certeza de que um dia nos iremos a eles juntar. (Idem, pgs 433,434)
Todos nós, que convivemos com os verdadeiros espíritas, reconhecemos a bondade, a sinceridade e a honestidade da grande maioria deles; de como pregam uma doutrina que no seu entendimento é purificadora, consoladora, destituída de interesses materiais, etc.
            Se, dentre os seus inúmeros dogmas encontramos muitas divergências bíblicas, nenhum se compara com o da comunicação com os mortos.
            Levanta-se a questão da médium de En-dor que foi consultada por Saul, que desejava falar com o espírito do profeta Samuel; baseiam-se em textos como o do profeta Joel, no qual afirma que o Senhor derramaria do Seu Espírito sobre toda carne e todos profetizariam e teriam visões, além da afirmação de ser o Espírito da Verdade mencionado em João 14.16-17, o mesmo espírito que direcionou a codificação da Doutrina Espírita realizada por Allan Kardec.
            Ao destacarem estes textos visam confirmar que a Doutrina Espírita é a terceira revelação divina. De acordo com essa visão a ordem seria a seguinte: a primeira revelação seria Moisés, a segunda seria Jesus e a terceira seria a Doutrina Espírita e somente através dela os homens compreenderiam melhor a missão de Cristo aqui na terra. Somente através dela o véu da ignorância espiritual se levantaria, possibilitando-nos assim, conhecermos definitivamente as coisas celestiais anunciadas por Ele e vislumbrarmos o que nos aguardaria no mundo espiritual.
            Cremos que comunicação com o mundo espiritual ou espíritos é possível, tanto que foi proibida pelo Senhor em inúmeros textos dos quais, no decorrer de nossa exposição transcreveremos alguns, mas a Bíblia é taxativa quanto a este aspecto: A COMUNICAÇÃO COM OS MORTOS É ABOMINAÇÃO, IDOLATRIA E CONDUZ AO FOGO ETERNO, pois na esperança de consultar algum parente ou amigo que já faleceu, acabamos na verdade abrindo caminho para que espíritos malignos tomem o seu lugar e se passe pela pessoa que se deseja consultar. 
            Gostaríamos de amenizar a situação, mas infelizmente o assunto é muito sério e não pode ser tratado com delicadeza.

Já Samuel era morto, e todo o Israel o tinha chorado e o tinha sepultado em Ramá, que era a sua cidade; Saul havia desterrado os médiuns e os adivinhos.
Ajuntaram-se os filisteus e vieram acampar-se em Suném; ajuntou Saul a todo o Israel, e se acamparam em Gilboa. Vendo Saul o acampamento dos filisteus, foi TOMADO DE MEDO, E MUITO SE ESTREMECEU o seu coração. Consultou Saul ao SENHOR, porém o SENHOR não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas. Então, disse Saul aos seus servos: Apontai-me uma mulher que seja médium, para que me encontre com ela e a consulte. Disseram-lhe os seus servos: Há uma mulher em En-Dor que é médium. Saul disfarçou-se, vestiu outras roupas e se foi, e com ele, dois homens, e, de noite, chegaram à mulher; e lhe disse: Peço-te que me adivinhes pela NECROMANCIA e me faças subir aquele que eu te disser.  Respondeu-lhe a mulher: Bem sabes o que fez Saul, como eliminou da terra os médiuns e adivinhos; por que, pois, me armas cilada à minha vida, para me matares? Então, Saul lhe jurou pelo SENHOR, dizendo: Tão certo como vive o SENHOR, nenhum castigo te sobrevirá por isso. Então, lhe disse a mulher: Quem te farei subir? Respondeu ele: Faze-me subir Samuel. Vendo a mulher a Samuel, gritou em alta voz; e a mulher disse a Saul: Por que me enganaste? Pois tu mesmo és Saul. Respondeu-lhe o rei: Não temas; que vês? Então, a mulher respondeu a Saul: Vejo um deus que sobe da terra. Perguntou ele: Como é a sua figura? Respondeu ela: Vem subindo um ancião e está envolto numa capa. Entendendo Saul que era Samuel, inclinou-se com o rosto em terra e se prostrou.(...) De súbito, caiu Saul estendido por terra e foi tomado de grande medo por causa das palavras de Samuel; e faltavam-lhe as forças, porque não comera pão todo aquele dia e toda aquela noite.” (I Samuel 28.3-14,20)

            Como a própria passagem nos revela, Saul estava atemorizado, faminto e por isso fraco, extenuado fisicamente, e na sua fraqueza certamente não estava mais raciocinando com clareza.
Havia recorrido aos meios naturais que Deus permitia, quais sejam: profetas, Urim, sonhos, etc., e o Senhor não lhe permitiu ter qualquer tipo de visão que pudesse orientá-lo ou consolá-lo diante da trágica situação que enfrentava no momento. Sentia-se encurralado, sabia que não conseguiria escapar daquela situação, pois resolvera tomar para si as funções sacerdotais que pertenciam a Samuel e sacrificar pessoalmente ao Senhor.
A médium não conhecia a Samuel, pois ao ver um “espírito” aparecendo-lhe, começou a descrevê-lo a Saul que de imediato identifica-o como sendo Samuel, somente por ser ancião e portar uma capa.
Se Deus não permitiu que os profetas tivessem qualquer visão para alentá-lo, certamente não iria derrogar as Suas próprias leis, permitindo que um espírito como o de Samuel, profeta temente a Deus, fiel aos Seus mandamentos, aparecesse a Saul.
O homem com medo imagina muitas coisas, e nessas horas, Satanás e seus demônios aproveitam para fazerem o seu espetáculo.
Como vimos na passagem de II Coríntios 11.14, ele se transforma em anjo de luz, dessa forma poderia tomar a forma que quisesse e passar-se por Samuel, e certamente foi isso que ele fez, pois se o próprio Senhor não se comunicou com Saul, não permitiria que um servo fiel como Samuel o fizesse.
As coisas que o pseudo-espírito de Samuel disse a Saul não eram novidade para ninguém, nem mesmo para ele, pois sabia que seu trono seria retirado e entregue a Davi; sabia que perderia a batalha, pois até mesmo o Senhor lhe virara as costas, e, se não estivermos com o Senhor ao nosso lado, fatalmente seremos destruídos. Portanto, nada confirma que teria sido verdadeiramente o espírito de Samuel que lhe aparecera.
A comunicação com os mortos nos conduz a um total afastamento das coisas de Deus. Quando nos preocupamos em recorrer ao espírito de nossos parentes e amigos que já morreram, ou ainda de estranhos que pela sua passagem pelo mundo tiveram uma posição de destaque em determinada área, quer seja social, médica ou outra qualquer, deixamos de recorrer Àquele que, realmente, conhece todas as coisas: DEUS.
Durante 17 anos militando no meio espírita pude presenciar muitas fraudes, muitos embustes, mas ao invés de denunciá-los eu simplesmente procurava informar às pessoas que naqueles determinados locais elas não encontrariam o que estavam procurando.
Na maioria dos casos as pessoas envolvidas eram honestas, sinceras e achavam que as comunicações eram reais e edificantes. Faltava-lhes discernimento. E um caso ficou muito gravado em minha mente, porque aconteceu com pessoas muito ligadas à minha família.
Aconteceu em um centro espírita muito conhecido em São Paulo, cuja médium diretora é uma pessoa com todas as características do bom e verdadeiro espírita: Honesta, amorosa, dedicada às obras sociais, desprendida das coisas materiais, tanto que naquele local ninguém fala em dinheiro ou coisa parecida; não existem consultas pagas, dá-se de graça o que de graça se recebe, portanto, fisicamente um local colocado a toda prova e o mesmo se dá com relação às pessoas que ali trabalham voluntariamente.
Um amigo perdeu a sua filhinha em tenra idade, atropelada, e depois de uma quase tragédia familiar, pois a mãe não se alimentava, esse amigo não conseguia trabalhar, a família estava em total desespero. Tudo parecia estar perdido, quando aos nossos olhos uma porta se abriu. Conseguiram o endereço deste centro espírita e começaram a freqüentá-lo. No começo nenhuma mensagem, mas comentava-se com uma ou outra pessoa o que tinha ocorrido e em pouco tempo todas as pessoas que freqüentavam aquele local conheciam a seqüência de fatos que culminaram com a morte da menina.
Depois de algum tempo, a primeira mensagem da querida filhinha.
Confortava a todos, dizendo que estava muito bem, que a maneira de escrever era diferente porque estava em outro plano, mandava abraços a todos, dizia que seu tio, morto há muitos anos estava com ela, embora não o tivesse conhecido em vida e muito menos sabia escrever quando houvera morrido, e assim por diante.
Neste dia a única pessoa da família que estava presente na reunião era a avó. A mãe por um motivo que não me recordo não pode ir ao centro naquele dia.
Trouxeram a mensagem para a mãe, que consolada pela mesma, desejou ir pessoalmente para receber da filhinha tão querida uma palavra que fosse, qualquer palavra e isso a encheu de ânimo.
Num determinado dia resolveram ir até o referido local para receberem, segundo supunham, uma nova mensagem da menina.
Quando lá chegaram escreveram o nome da menina em um pedaço de papel e o entregaram para o grupo de médiuns que estava trabalhando naquele dia.
Só que nesse dia ao invés de ir a avó, era a mãe quem estava presente para receber noticias da filha.
Depois da prece de abertura dos trabalhos e da palestra, começaram a receber as mensagens dos mortos que estavam com os seus parentes ali. E diante do desejo quase insano da mãe dessa menina, esta enviou pelas mãos da médium uma mensagem quase idêntica à primeira, sempre a mesma coisa, com um, porém, dizendo que estava muito contente porque a AVOZINHA tinha ido lá de novo receber noticias suas e que durante a reunião ela estivera sempre ao seu lado.
Até aí, tudo bem. Só que tem um probleminha: A AVOZINHA TÃO QUERIDA NÃO ESTAVA LÁ, havia ficado em casa, era a MÃE que fora receber noticias da filha.
Será que se fosse realmente o espírito da filha, ela não reconheceria a própria mãe?
Conheci muitos casos parecidos com esse. Parentes que recebiam mensagens e me traziam para que eu analisasse a sua “autenticidade” e apesar de eu afirmar que todas eram “cópias” autenticadas de mensagens contidas em inúmeras obras espíritas que tratavam do tema, muitos viravam as costas dizendo que eu era sempre do contra e que não estava preocupado com os sentimentos deles.
Deixemos que a Palavra de Deus fale por si mesma, para comprovarmos o que nos espera se entrarmos por esse caminho tão perigoso que é o de tentarmos nos comunicar com os mortos:

“Não vos voltareis para os necromantes, nem para os adivinhos; não os procureis para serdes contaminados por eles. Eu sou o SENHOR, vosso Deus.” (Levítico 19.31)

“Quando alguém se virar para os necromantes e feiticeiros, para se prostituir com eles, eu me voltarei contra ele e o eliminarei do meio do seu povo.” (Levítico 20.6)

“O homem ou mulher que sejam necromantes ou sejam feiticeiros serão mortos; serão apedrejados; o seu sangue cairá sobre eles.” (Levítico 20.27)

“Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram, acaso, não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos?” (Isaías 8.19)

“Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os feiticeiros...” (Isaías 8.19- Edição revisada)

“Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos, que chilreiam e murmuram entre dentes; não recorrerá um povo ao seu Deus? A favor dos vivos interrogar-se-ão os mortos?” (Isaías 8.19- Edição revista e corrigida)

Além das situações mencionadas a comunicação com os mortos nos faz ainda, idólatras, porque ao invés de consultarmos a Deus, entregamos a nossa confiança em entidades espirituais que atendem pelos nomes de André Luiz, Bezerra de Menezes, Doutor Fritz, Emmanuel ou ainda a águas fluidificadas que seriam energizadas por estes, e acabamos colocando a nossa confiança e esperança nas mensagens supostamente psicografadas por parentes ou amigos que tanto amávamos.
Todos condenam a Umbanda, as doutrinas orientais e a Igreja Católica pela adoração feita às imagens dos santos e gurus que preconizam, mas se esquecem que transferir à imagem física dessas entidades pela sua presença espiritual, também significa idolatria, pois os espíritos mencionados acima estão sendo deificados, e muitos, na busca de consolo para suas almas, têm entregado em suas mãos os seus problemas materiais e espirituais.
Estamos entregando, de bandeja, a nossa salvação para Satanás.
Vejamos o que nos espera quando somos abomináveis e idólatras, segundo a palavra de Deus:

“Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus.” (I Coríntios 6.9,10)

“Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.” (Gálatas 5.19-21)

“Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus.” (Efésios 5.5)

“Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveis, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte.(Apocalipse 21.8)

Não necessitamos consultar os mortos para sabermos o que Deus tem para cada um de nós, basta-nos o que Ele nos deixou relatado nas Sagradas Escrituras.

Estamos tristes? Busquemos consolo na Palavra de Deus. “Mostra-me um sinal do teu favor, para que o vejam e se envergonhem os que me aborrecem; pois tu, SENHOR, me ajudas e me consolas.” (Sl 86.17)

Estamos nos sentindo abandonados? Busquemos o refúgio na Palavra de Deus. “Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas tribulações.” (Sl 46.1)


Estamos nos sentindo fracos? Busquemos a Força que a Palavra de Deus. O SENHOR é a força do seu povo, o refúgio salvador do seu ungido.” (Sl 28.8)
Sempre juntos em Jesus.
Antonio Carlos

4 comentários:

  1. Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
    Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias.
    Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins. OU http://joaorevela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Caro amigo João!
    Com todo respeito que você merece, já visitei seus espaços e fiquei estarrecido com o que vi e deixei claro nossa posição frente às posições que o amigo adota e entende como sendo reveladas por Deus.
    De nossa parte não vemos nos textos que lemos em seu espaço nenhuma demonstração de que o Senhor esteja ali representado, muito pelo contrário.
    Como dissemos em resposta a outro comentário que você postou nesse blog: A Palavra de Deus nos ensina que fomos criados à imagem e semelhança de Deus, muito embora você creia ser filho do diabo como expressa nessas palavras: “Somos criação de uma mente perversa e sem escrúpulo, basta ver o potencial de maldade que foi depositado dentro de nós. Este criador, nos criou com apenas uma intenção provar ao seu Criador, que era capaz.”
    Não posso dizer que fico revoltado por ver a Palavra de Deus tão deturpada assim, mas antes entristecido, porque alguém com inegável capacidade intelectual e com meios disponíveis para levar uma mensagem realmente salvadora e consoladora aos corações, fique divagando e divulgando inverdades como você tem feito.
    Peço a Deus que o Espírito santo possa realmente revelar a verdade ao seu coração, fazendo com que você abandone idéias tão absurdas e contrárias à Palavra de Deus e o propósito a que Ela se destina.
    Entristecido, mas esperançoso, peço ao Senhor que te dê entendimento e sabedoria para buscá-Lo em Espírito e em Verdade, pois a Verdade revelada que é Jesus Cristo nos basta para sabermos quão grande amor o Senhor tem por cada um de nós.
    Antonio Carlos

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito do seu blog, venho aqui agradecer seu present a nós blogeuiros com ensimentos lindos, adori seu post, ja sigo e vou vir sempre!
    com carinho
    Hana

    ResponderExcluir
  4. Eu gosto de vir aqui, e levo seu carinho, sinto ele em seu blog. Vc foi um dos que confiam em meu blog, por isso em gratidão deixo aqui um carinho em forma de letra. obrigada e espero que goste.

    da Terra
    Roupa Nova
    Composição: Beto Guedes - Ronaldo Bastos

    Anda, quero te dizer nehum segredo
    Falo nesse chão da nossa casa
    Vem que tá na hora de arrumar
    Tempo, quero viver mais duzentos anos
    Quero não ferir meu semelhante
    Nem por isso quero me ferir
    Vamos precisar de todo mundo
    Pra banir do mundo a opressão
    Para construir a vida nova
    Vamos precisar de muito amor
    A felicidade mora ao lado
    E quem não é tolo pode ver
    A paz na Terra, amor
    O pé na terra
    A paz na Terra, amor
    O sal da Terra
    És o mais bonito dos planetas
    Tão te maltratando por dinheiro
    Tu que és a nave nossa irmã
    Canta, leva tua vida em harmonia
    E nos alimenta com teus frutos
    Tu que és do homem a maçã
    Vamos precisar de todo mundo
    Um mais um é sempre mais que dois
    Pra melhor juntar as nossas forças
    É só repartir melhor o pão
    Recriar o paraíso agora
    Para merecer quem vem depois
    Deixa nascer o amor
    Deixa fluir o amor
    Deixa crescer o amor
    Deixa viver o amor
    (O sal da terra)
    com carinho
    Hana

    ResponderExcluir

CONHECENDO O INIMIGO

C omo dissemos anteriormente, estaremos transferindo as postagens referentes ao Tema "Reencarnação- Farsa ou Realidade?" que hav...