quinta-feira, 23 de agosto de 2018

FALSAS DOUTRINAS- Belas palavras e tristes consequências.


“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.” (2 Pedro 2.1)
O apóstolo Pedro nos advertiu para tomarmos cuidado, porque sabia que a demora do retorno de Jesus para resgatar Sua Igreja provocaria em muitos uma certa decepção naqueles que a esperavam e em razão disso passariam a dar ouvidos a doutrinas que ao invés de trazerem consolo e edificação para seus corações, trariam destruição aos que as seguissem.
Para afirmarmos que um objeto é falso é necessário que conheçamos ou tenhamos às mãos o objeto verdadeiro para que dessa forma possamos estabelecer uma comparação, uma confrontação, para que se constate se realmente aquilo que estamos analisando é falso ou não.
Quando analisamos vertentes religiosas devemos buscar um ponto de equilíbrio em nossa análise, pois de outra forma, corremos o risco nos tornarmos extremistas e fundamentalistas, e ao invés de esclarecer acabamos distanciando aqueles que desejam ,assim como nós, conhecer a verdade. Ninguém em sã consciência se prestaria ao papel de seguir uma mentira sabendo que no final acabaria pagando um preço muito alto por essa teimosia, mas, entendemos que aqueles que a seguem, o fazem na ignorância dos caminhos a que ela os levará.
Moramos em um país predominantemente cristão, no sentido de que a maioria da população se diz seguidora dos ensinos de Jesus Cristo e entendemos que o ponto de equilíbrio para analisarmos essas vertentes religiosas deva ser a vida do próprio Senhor Jesus e seus ensinamentos, contida não somente nos evangelhos e demais livros do Novo testamento, mas ao longo de toda Escritura Sagrada, a Bíblia.

Sendo assim, como podemos dizer se uma doutrina religiosa que professa ser cristã de fato o é? Ela precisa passar pelo crivo da autenticidade em relação à Palavra de Deus. Se as doutrinas que professa não estão de conformidade com a Palavra, ela não poderá ser considerada cristã, mesmo que assim se denomine.
E se ela contiver partes dos ensinamentos cristãos e aceitar partes das Escrituras? Ainda assim ela não poderá ser considerada cristã, pois acabará aceitando os ensinamentos que autenticação seus postulados e rejeitarão os que lhe são contrários.
Sendo assim, você poderá pensar que digo isso porque sou evangélico e, pertencendo a uma Igreja Evangélica entendo que somente quem segue os ensinamentos ministrados nessas Igrejas poderá ser considerado cristão e estar salvo. Infelizmente e com dor no coração digo que muitas dessas entidades que se dizem evangélicas não estão ensinando nada do que Jesus pregou ou deixou como regra de vida para seus seguidores. Muitos deles se enquadram perfeitamente no texto que lemos acima.
Por essa razão me alto defino como “cristão, aprendiz de servo de Jesus”, pois se eu conseguir realizar apenas o que Ele espera de mim já me darei por satisfeito, mesmo que à luz de seus ensinamentos eu venha a ser considerado como “servo inútil por ter realizado apenas o que me foi ordenado”. Se realizar apenas o que Ele espera de mim saberei que estou me tornando um cristão melhor e estarei olhando para os meus irmãos, independente de professarem a mesma fé, com o amor que Ele os ama e espera que eu também os ame.
Disputas acirradas, que levam muitas vezes a descalabros e atos de violência que ultrapassam as raias da razão, como é a situação de tantos cristãos espalhados pelo mundo que têm sido mortos por simplesmente pregarem a mensagem de salvação ordenada por Jesus e que muitos, para não dizer a maioria dos que se dizem cristãos” simplesmente não acreditam ou nunca ouviram falar que essas coisas acontecem.
Existe uma luta espiritual e só os mais românticos não crêem que ela é real. Como disse o apóstolo Paulo aos efésios: “porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno.” (Efésios 6.12-16)
O desejo do Inimigo de nossas almas em iludir aos homens não é novo, mas vem desde a criação do mundo, pois sabedor de sua condição de réu (tornou-se réu quando desejou ocupar o lugar de Deus e isso ocasionou a sua queda) primeiro enganou a mulher e através dela trouxe o pecado para o gênero humano.
A questão de comer a “maçã”, como muitos dizem, nada tem a ver com o fruto em si, muito menos com as árvores da mesma espécie, o problema central ali era o desejo que ele tinha em ludibriar o homem, tentando iludi-lo para que pensasse que poderia ser igual ao Criador e ter toda ciência do bem e do mal. A mulher aceitou a oferta e também o homem e desde então ele vem tentando obscurecer a visão desse mesmo homem quanto ao plano de salvação que Deus, em sua infinita misericórdia, já havia preparado. Deus, sendo onisciente, já sabia que o homem iria pecar antes mesmo de criá-lo.
Com a queda do homem, estabeleceu o inicio do plano que visava impedir que a humanidade conseguisse viver em plena comunhão com Deus. Ele sabia que o pecado faria separação entre Deus e o homem.
Ao longo dos séculos estabeleceu doutrinas e mais doutrinas, fazendo com que nos afastássemos cada vez mais de Deus.
Colocou em nossos corações o desejo de adorar vários deuses, animais, objetos, etc., fazendo com que ao nos envolvermos nesse tipo de adoração nos distanciássemos ainda mais de Deus.
A humanidade presenciou tudo isso e manteve-se com esses pensamentos até Deus levantar um homem, Abrão, e através dele colocar em prática o seu plano para salvar o gênero humano das garras de Satanás.
O que presenciamos nos dias atuais é exatamente o mesmo quadro que encontraríamos na época de Noé, Abraão, Jeremias e também de Jesus: a idolatria corre à solta em nossos lares, escolas, trabalhos, igrejas e por aí afora.Idolatramos nossa televisão, nossos rádios, nossos CDs, professores, pastores, padres, carros, etc.
Cada vez que nos envolvemos ou nos apegamos a essas doutrinas e passamos a adotar seus objetos, símbolos, expressões como manifestações espirituais no nosso dia-a-dia e as praticamos como sendo verdadeiras, afastamo-nos da Verdade e a Verdade segundo a Palavra de Deus, a Bíblia, é esta: “Eu (Jesus) sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” (João 14.6).Quando, na busca sincera de Deus, estamos conseguindo encontrar o Caminho, a nossa visão é bloqueada e nossos ouvidos tapados pelo inimigo de nossas almas para que não tenhamos a oportunidade de seguirmos por ele e alcancemos a tão almejada libertação.
Foram muitas as doutrinas implantadas pelo Inimigo em nosso mundo objetivando iludir o homem para que esse não conseguisse se reconciliar com o seu criador e com certeza muitas ainda virão, pois acerca disso já tínhamos a advertência do Senhor para que nos afastássemos delas e procurássemos permanecer no caminho correto, apesar dos “belos” atrativos que elas nos oferecessem:

Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas.” (II Timóteo 4.3,4)
Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus. Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons. Toda árvore que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo. Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis. Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.” ( Mateus 7.15-23)
“Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Não deis ouvidos às palavras dos profetas que entre vós profetizam e vos enchem de vãs esperanças; falam as visões do seu coração, não o que vem da boca do SENHOR. Dizem continuamente aos que me desprezam: O SENHOR disse: Paz tereis; e a qualquer que anda segundo a dureza do seu coração dizem: Não virá mal sobre vós.” ( Jeremias 23.16,17)
“Visto que andam enganando, sim, enganando o meu povo, dizendo: Paz, quando não há paz, e quando se edifica uma parede, e os profetas a caiam, dize aos que a caiam que ela ruirá. Haverá chuva de inundar. Vós, ó pedras de saraivada, caireis, e tu, vento tempestuoso, irromperás.” (Ezequiel 13.10,11)
O que temos presenciado hoje em matéria de religião, pregadas alegadamente em nome de Deus, não está de acordo com o que foi dito há tanto tempo e que figura nas Escrituras Sagradas com o modelo ideal para satisfazer as necessidades espirituais daqueles que desejam conhecer a Verdade.
Os cultos que se fazem a animais, gnomos, santos, etc.; são alguns dos meios empregados pelo inimigo para fazer com que os homens se afastem de Deus e da Sua Palavra. O inimigo procura subverter a mente das pessoas para que aceitem as coisas mais absurdas propostas por ele como sendo naturais.Imagine a sua satisfação ao presenciar um ser, criado por Deus para o louvor de Sua Glória, ajoelhado em frente a imagens de barro, que representariam pseudo-servos de Deus. Com que satisfação deve observar pessoas esclarecidas olhando para estatuetas de figuras horrendas e sarcásticas conhecidas pelo nome de “GNOMINHOS” expondo seus problemas e desejos mais íntimos, esperando “receber” deles o consola para sua situação.
O sexo utilizado em qualquer lugar sem o menor receio de repressão por parte das autoridades, as drogas consumidas em todas as idades e camadas sociais, a prostituição generalizada e tudo feito em nome de uma liberdade satânica que nos é despejada como se fosse a manifestação da compreensão divina das deficiências humanas, e em nome dessa compreensão, dessa infinita misericórdia criou-se a pior de todas as doutrinas que visa afastar os homens da presença do Criador. Tem ela um nome pomposo e surgiu em um país de grande cultura, onde ainda estava quente o “fogo da revolução industrial”. Foi simples: trocaram-se algumas letras e deram-lhe novo significado: o vocábulo correto deveria ser RESSURREIÇÃO, mas resolveram chamá-lo de REENCARNAÇÃO.
QUE MARAVILHA!
Com certeza, deve ter dito aos seus demônios: “viram como foi fácil? Não custou muito, não é? Foi só mudarmos algumas letrinhas “insignificantes” e com isso faremos com que toda uma série de dogmas esquecidos venha à tona. Em cima dessa nova palavra, criarão inúmeras doutrinas e enquanto isso poderemos desfrutar da companhia de muitos homens que poderiam estar do outro lado”.
Criada como uma forma de estabelecer a “justiça” divina, a doutrina das reencarnações sucessivas causou uma enorme confusão na mente e no coração dos homens. Ela conseguiu espalhar dogmas, fábulas, como se fossem verdades estabelecidas, tais como: através dela, todos os nossos defeitos poderiam ser corrigidos pelas reencarnações sucessivas e o pior de tudo: a possibilidade que ela nos dá de um dia podermos ser iguais a Jesus, que daria no mesmo que afirmarmos: sermos iguais a Deus, e assim cairíamos no mesmo erro do diabo; através dela obteríamos a salvação pelas obras e não pela fé como fora pregada pelo Senhor.
Você acha que essa afirmação é absurda ou exagerada? Então continue lendo as postagens que se seguirão e verá que é a mais pura verdade. O desejo do inimigo é que pereçamos com ele no lago de fogo e de enxofre.
Muitas vidas se perderam nesse engano, e infelizmente muitas ainda se perderão, mas, de nossa parte, faremos o que for possível para impedir que novas vidas se percam no caminho e procuraremos, pelos meios que a Palavra de Deus nos garante, resgatar as vidas que ainda permanecem nas garras do diabo e se isso não bastar, porque não será pela nossa força nem violência como nos ensina a Palavra de Deus, mas pelo Espírito Santo de Deus temos a certeza de que seremos vitoriosos.
O que vemos hoje é o mesmo cenário que ocorria em Israel nos tempos do profeta Oséias e naquela ocasião assim se expressou o Senhor visando alertar o povo:

‘O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.” (Oséias 4.6)Que o Senhor possa consolar os corações necessitados de amor e compreensão, esclarecendo-lhes e orientando-lhes acerca do caminho em que devem seguir: Jesus, único Caminho que nos conduz a Deus.
Antonio Carlos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CONHECENDO O INIMIGO

C omo dissemos anteriormente, estaremos transferindo as postagens referentes ao Tema "Reencarnação- Farsa ou Realidade?" que hav...