sexta-feira, 6 de novembro de 2009

"S.O.S. Amor ao próximo"


Este selo passará a ser o selo "oficial" dos blogs que administramos e será distribuído e retirado por todos aqueles que como diz o título têm “amor ao seu próximo” e não medem esforços para ajudá-los na difícil caminhada pela qual todos passamos, principalmente os de menores recursos nos dias que vivemos.
Para mim esse selo é mais que um símbolo e foi criado muito antes de existir internet e as possibilidades que temos hoje em dia, pois é a logomarca de um Grupo de Assistência que utilizamos durante muitos anos em um trabalho que realizávamos junto a Asilos, creches, orfanatos e famílias carentes e, apesar de não estar atualmente em atividade, ainda existe e nunca saiu de meu coração e quando o Senhor nos conceder novamente condições para retomá-lo o faremos com satisfação, pois está diretamente ligado ao meu chamado junto ao corpo de Cristo.
Por que esse saudosismo?
Amados, vivemos dias em que as pessoas de um modo geral não se importam a mínima com seus semelhantes.
Quando vêem uma pessoa pedindo ajuda nas ruas, dificilmente atendem ao apelo que lhe foi feito e justificando de muitas formas têm na ponta da língua os motivos por não fazê-lo: “Eu não dou dinheiro nas ruas porque:
a) Será usado para consumir drogas;
b) Será usado para consumir bebidas alcoólicas;
c) De nada adianta dar o peixe é necessário ensinar a pescar;
d) Com tanto emprego sobrando eles procuram os meios mais fáceis para conseguir o sustento.
e) Etc.
Dias desses estava em uma rua da cidade de São Paulo e vi uma moça com duas crianças pedindo ajuda para todos que encontrava. A Rua é a conhecida José Paulino, no bairro do Bom Retiro, que outrora fora reduto de judeus, mas que hoje mais parece o centro de uma cidade coreana.
Quem vai à Rua José Paulino vai com a intenção de comprar e comprar muito, pois os preços são excelentes e não poucas pessoas comprar os produtos e revendem em suas cidades.
Observei aquela moça pedindo sem obter êxito por um bom tempo, até que ela se chegou a mim e perguntando o que ela precisava, me disse que estava sem comer e que seus filhos estavam passando muito mal por isso. Era do interior de São Paulo e estava em tratamento médico em São Paulo e que apesar das tentativas de conseguir localizar a Igreja da qual fazia parte em sua cidade não havia conseguido.
Expliquei-lhe que iria com ela comprar os alimentos e entendemos que era melhor adquirir uma cesta básica e alguns complementos para que passasse pelo menos uma semana e assim teria ao menos forças para buscar ajuda, até que ela chegasse.
Se eu não tivesse perguntando o que ela preferia: uma refeição ou uma cesta para ela mesma preparar, dignamente a sua refeição, eu nunca saberia pó que poderia fazer para auxiliar.
Isso foi acaso? Eu não acredito e nunca acreditei em acasos. Acasos não existem principalmente em relação à necessidade de nossos semelhantes e até que me provem o contrário carregarei essa convicção em meu coração.
Um certo homem de Deus, costuma dizer aos seus alunos que eles devem ler a Palavra de Deus com “os olhos abertos” para poderem compreender não apenas o texto, mas o seu contexto de forma clara e límpida, para depois expressarem o seu conteúdo aos que os ouvem. Da mesma forma, nós que nos dizemos cristãos, devemos também andarmos e olharmos para nossos irmãos que passam por necessidades como cartas vivas que o Senhor colocou diante de nós e “lermos com os olhos abertos” a situação pela qual estão passando e assim, com um coração sincero e aberto para ajudar, o façamos desprendidamente, na certeza de que o mais próximo daquele irmão somos nós mesmos.
Lembremo-nos da parábola do bom samaritano (Lc 10.25-37) e sigamos o seu exemplo.
A dor, a fome, o desespero, o sofrimento, o abandono, o desemprego, a violência, não pedem carteira de identidade nem filiação religiosa. Ela pode alcançar qualquer um de nós. Não esqueça isso, principalmente você que um dia foi alcançado pela graça redentora do Senhor Jesus.
Porque estou falando isso? Para me vangloriar? Podem ter certeza que não e quem me conhece sabe que não fico divulgando o que não passa de obrigação como se fosse alguma virtude.
Estou dizendo isso, porque é lugar comum no meio do “povo de Deus” que uma pessoa que entregou o seu coração a Jesus, NUNCA mendiga o pão, e isso veio provar que essa afirmação não é verdadeira, e já sabíamos disso há muito tempo, basta verifica a situação de tantos missionários e novos convertidos em países com perseguição religiosa ou em países africanos e constataremos que essa afirmação é equivocada.
E por que eu trouxe essa situação à baila?
Porque muitos estão buscando alcançar o céu na terra através das conquistas materiais que lhes são prometidas, não pela Palavra de Deus, mas por homens e mulheres que dizendo-se de Deus os estão enganando a todo momento, e não se importam de encher os bolsos desses falsos lideres religiosos com o dinheiro que poderiam e deveriam auxiliar ao seu próximo enquanto este está perecendo e padecendo de tantas necessidades, que os “espirituais” não conseguem enxergam, porque sendo tão “espirituais” estão com seus olhares sempre voltados para os céus e nunca para a terra, nunca para seus vizinhos, nunca para os seus irmãos que a exemplo dele, também foram criados à imagem e semelhança de Deus.
Esse selo está sendo distribuído para os blogs abaixo porque sei do compromisso que eles têm com a mensagem do mesmo, mas se você que está lendo os motivos pelos quais o estamos disponibilizando também crê no que dissemos e deseja levá-lo para o seu blog, basta seguir as regras abaixo.

Regras:
1. Você deve amar ao seu próximo como a si mesmo.
2. Você deverá assumir um compromisso de orar para que o Senhor lhe dê um coração sensível e visão como a das águias para enxergar as possibilidades de ajudar seu irmão necessitado.
3- Ore ao Senhor para que o formato físico de nosso país (um coração) possa refletir o sentimento de cada um de seus habitantes pelos seus semelhantes.
4- Ore ao Senhor para que o amor que está em seu coração seja espalhado por todos os recantos do planeta e que todos possamos nos amar, independentemente da fé que professamos.
5- Distribua-o a quem você desejar, não esquecendo de avisá-lo, mencionando apenas essas regras básicas e não precisa divulgar de onde ele se originou. Nosso desejo é propagar a necessidade do amor e não divulgar nosso espaço.

Se você está sujeito a seguir as regras meus parabéns, o selo “S.O.S.Amor ao Próximo” foi elaborado exclusivamente para você. Creia, você é um homem ou uma mulher segundo o coração de Deus.

Vou distribuir inicialmente para os amados abaixo porque merecem tê-lo em seus espaços se assim o desejarem.

1- Doutrina Cristã= http://cledio.blogspot.com/
2- Blog dos Últimos= http://blogdosultimos.blogspot.com/
3- Crianças no plano de Deus= http://criancasplanodedeus.blogspot.com/
4- Amigo de Cristo= http://amigodcristo.blogspot.com/
5- Ministério Beréia=http://ministeriobbereia.blogspot.com/
6- Um projeto do Coração de Deus= http://www.prnatanaelsp.com.br/
7- Louvor a Deus= http://jesuscristoemminhavida.blogspot.com/
8- Reflexões= http://predmilson.blogspot.com/
9- Servo de Deus= http://servosdeus.blogspot.com/
10- Caminho Plano= http://caminhoplano.blogspot.com/
11- Missão Pescar= http://missaopescar.blogspot.com/
12- Blog da Tânia Regina= http://taniacorreafernandes.blogspot.com/
13- Céu aberto= http://walkyria-suleiman.blogspot.com/
14- REMIR= http://remir-ibmluz.blogspot.com/
15) JR = http://jovensdoalem.blogspot.com/
16) Maria José= http://arcadoconhecimento.blogspot.com/
17) Simplesmente Maria= http://cinquentinhas.blogspot.com/
18) Obra das mãos de Deus= http://evycristina.blogspot.com/
19) Priscila= http://priscila-deusefiel.blogspot.com/
20) Tereza Ferraz= http://viajantesalados.blogspot.com/
21) Elzenir= http://releiturasdemundo.blogspot.com/
22) Adoradora de Deus= http://alzijesus-adoradoradedeus.blogspot.com/
23) Dinha= http://dinhajoseildablog.blogspot.com/
24) Fazendo o meu caminho= http://fazendomeucaminho.blogspot.com/


Sempre juntos em Jesus.
Antonio Carlos

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

PODEMOS CONFIAR NA BÍBLIA? - I -

1) “A Bíblia para os protestantes é a única regra de fé e prática, ela é a “palavra de Deus”...” pg 25
“Nós não temos da Bíblia a mesma noção que os nossos irmãos evangélicos. Respeitamo-la como um repositório de ensinamentos divinamente inspirados e, sobretudo, como acervo documentário da história do povo hebreu.” Pg 25
“Moisés certamente foi um homem de grande cultura para a sua época, versado nos segredos da ciência egípcia, por ter sido criado e educado pela família real (Atos 7:22). Isto não invalida o ensino dado ao povo hebreu, nem lhe tira o caráter de “revelação”,
apenas sugere moderação aos que pretendem ser a Bíblia a única revelação ministrada por Deus aos homens.”pg 26

A Bíblia não diz que esses ensinamentos foram transmitidos pela primeira vez a Moisés e ao povo hebreu. Fala dos desmandos morais dos povos que os antecederam e da necessidade que havia de uma transformação, fala da idolatria e dos desvios a que se entregavam, e da necessidade que havia de se promover uma mudança radical nos costumes de então, fala do cuidado de um Deus que nunca desiste de suas criaturas.
Se muitos dos ensinamentos morais contidos nas tábuas da lei mosaica já tinham antecedentes em outros povos da antiguidade isso não torna a Bíblia ultrapassada, mas vem demonstrar que Deus já vinha de há muito dando a oportunidade para que esses povos se arrependessem e se voltassem a Ele, e que apesar da insistência divina eles permaneciam recalcitrantes em suas posições pecadoras.
2) “Os hebreus se consideram “o povo eleito de Deus”, e os irmãos evangélicos acreditam piamente nessa história, por haver inúmeras referências a isso na Escritura... E como não haveria, se os escritores da Bíblia foram todos judeus?
É interessante observar que todo o Velho Testamento
retrata uma evidente preparação para o advento do Messias. Mas quando enfim desce à Terra aquele que, segundo os nossos irmãos, é a encarnação do próprio Deus, os israelitas o rejeitam e o crucificam... E dois mil anos depois, quando a figura do Cristo se projeta na História como o maior de todos os profetas enviados por Deus à humanidade, aquele que veio traçar novos rumos à grande civilização ocidental que se intitula “cristã”, nem assim o “povo eleito” reconhece ou se penitencia à velha concepção farisaica, alheio à pessoa do Nazareno e não mais esperando um Messias personalizado, mas atribuindo à própria comunidade a tarefa messiânica, de conduzir a humanidade aos pés de Jeová, na plenitude dos tempos...” pg 27

Os hebreus não se consideram como o povo eleito de Deus, mas a própria Palavra de Deus os coloca nessa posição. A Bíblia nunca mostrou o povo hebreu como um modelo de perfeição a ser seguido, muito embora fosse esse o desejo divino ao separar um homem, Abraão, e dele formar uma nação perfeita, mas como modelo de homens e mulheres que apesar de serem falhos, buscavam colocar-se no centro da vontade divina.
É estranho observar que com a tecnologia que temos atualmente e com avanços científicos que alcançamos em várias áreas, inclusive no que diz respeito aos relacionamentos humanos que faz com que entendamos perfeitamente que apesar das dificuldades de algumas pessoas elas devem ser amadas e compreendidas, apesar de suas atitudes ferirem a grande maioria dos que os cercam; que a dependência química é antes de tudo um problema de saúde pública e apesar dos consumidores adquirirem as substâncias que os escravizam junto a traficantes não devem ser encarados como marginais, ou seja: à margem da sociedade, mas antes como doentes sociais; onde “crianças” que matam e provocam pânico não somente nas grandes capitais, mas em cidades menores também, devam ser tratados como “crianças” apesar de muitos deles terem uma ficha policial repleta de homicídios, latrocínios, estupros e vamos parar por aqui porque afinal de contas como relativamente incapazes que são não podemos lhes atribuir nenhum atributo ou definição mais forte; ou então no que diz respeito ao comportamento e opções sexuais de muitos homens e mulheres, onde uma grande parte da sociedade entende que os relacionamentos homossexuais são comportamentos que devem ser admitidos sem nenhum tipo de preconceito porque todos têm direito a se relacionar da forma que desejar desde que isso não fira o direito alheio (claro que o direito à moral dos outros não entram nessa análise), mas esses mesmos defensores não conseguem olhar para os personagens bíblicos com a mesma generosidade e com o mesmo amor. Quer dizer: o Deus de hoje é um AMOR SÓ, mas o Deus de antigamente era um CARRASCO SÓ.
Basta ler o que dizem as profecias anunciadas por Isaias acerca da vinda, vida e morte do Messias esperado pelo povo judeu e poderemos verificar que elas se cumpriram integralmente na vida do Senhor Jesus e que a rejeição por parte do povo e a Sua morte na cruz, era na verdade a possibilidade do cumprimento da promessa divina feita à mulher ainda no Éden, quando lhe disse que dela viria o redentor (Gn 3.15) para todo o gênero humano. Essa salvação visava alcançar todos os povos e não apenas o povo judeu.
Interessante notar que quando se fala acerca dos fatos narrados na Palavra de Deus, os seus opositores sempre colocam em dúvida a sua origem divina declarando que nela há muitos homicídios, tramas diabólicas, um povo pecador e arrogante, e por essa razão acabam negando-lhe a autoria divina, apesar de ter sido escrita por homens de várias culturas, em épocas diferentes tudo o que se fala contra ela são meras suposições e dia a dia as suas afirmações vêm sendo confirmadas pelas mesmas ciências que seus opositores utilizam e pela arqueologia que a todo o momento vem demonstrando a sua veracidade, mas quando se trata dos livros da Codificação Espírita eles são aceitos sem nenhum tipo de restrição, pois entendem os espíritas e simpatizantes que eles foram ditados por vários espíritos, bons ou maus, e que sob a orientação do espírito da verdade, o pedagogo francês Allan Kardec sistematizou e disponibilizou em suas obras as informações necessárias para esclarecer o homem acerca de sua origem e destino.Para eles a Bíblia é falível porque provavelmente fora alterada ao longo dos séculos, mas os livros da Codificação são a representação da mais pura verdade e realidade espiritual do homem e prova disso é que os espíritas quando querem fundamentar suas posições, o fazem mencionando os livros da Codificação, assim como nós “fanáticos e fundamentalistas” que acreditamos na infalibilidade da Palavra de Deus, a Bíblia, o fazemos em relação a Ela.Os espíritas se perguntam como podem aqueles que acreditam na infalibilidade da Bíblia crer piamente em seus escritos, tendo em vista que a razão atual demonstra que muitos de seus ensinamentos são contraditórios, mas esses mesmos apologistas espíritas não têm a menor dificuldade em aceitar os ensinamentos dos espíritos desencarnados ou mesmo nas psicografias recebidas nas casas espíritas, tão somente porque encontram nelas palavras de amor e caridade e por essa razão entendem que estão corretas e repletas de “espiritualidade superior”, apesar de não verem o espírito que está usando as faculdades mediúnicas do médium que as está escrevendo, identificando-o apenas pelo nome que ele mesmo diz ter tido na última ou em encarnações anteriores.
Talvez para justificar eles utilizem os mesmos meios que nós, que cremos na infalibilidade bíblica, ou seja: mencionar uma infinidade de perguntas e respostas feitas por Kardec aos espíritos e com isso desejam que aceitemos as suas posições.
Não vou fazer aqui a mesma colocação que um “espírita” (foi assim que ele se identificou, apesar de seus comentários demonstrarem não conhecer muita coisa das obras da Codificação) que disse que não adiantaria eu mencionar um “monte” de versículos bíblicos para justificar minha posição, pois ele “os conhecia” todas.
Ao contrário desse “espírita” eu entendo que a melhor maneira de chegarmos a um denominador comum é através do diálogo. Temos posições radicais em algumas situações? Sim as temos, assim como os estudiosos da Doutrina Espírita também as têm. Estamos dispostos a rever nossas posições? Com toda certeza sim, pois posso estar tendo um entendimento contrário ao que deveria ter e sou maduro o suficiente para rever posições, pois não estou preso a nada nem a ninguém, a não ser ao Senhor Jesus e à sua ordem de que aqueles que desejassem segui-lO deveriam levar a Palavra do Evangelho a toda criatura, mas para que isso aconteça é necessário que haja a disposição para o diálogo e que nossos comentários não se tornem em monólogos. Por essa razão é importante que os contrários se manifestem.Talvez seja o caso de perguntarmos o que é mais difícil? Os biblistas aceitarem a veracidade dos escritos espíritas, neles incluindo os livros da Codificação, ou os espíritas aceitarem a inspiração divina da Palavra de Deus na sua totalidade.
E também é hora de perguntarmos se crendo em partes da Palavra de Deus, quais seriam os textos que os apologistas espíritas entendem como sendo verdadeiros e quais devem ser considerados adulterações.
3) “Sendo um povo de grande inteligência e sagacidade é natural que os israelitas dos tempos hodiernos usassem seu inegável prestígio bíblico junto às opulentas comunidades cristãs, principalmente as protestantes para desencadear o movimento sionista, que teve por desfecho a “doação” que lhes fizeram as Nações Unidas, em 1948, de vastos territórios mantidos sob protetorado, mas cujos possuidores, legítimos ou não, eram os povos palestinos.” pg 27

É interessante notar também como os outros povos que dizem semear as boas novas de Cristo, olhem para o retorno de Israel para suas terras como um favor pela carnificina ocorrida no holocausto promovido pelo sanguinário Hitler, que algumas pessoas que se dizem livres pensadores, como é o caso do senhor Luciano Urpia, administrador do blog “Morte na História” (http://mortenahistoria.blogspot.com/) que disponibilizou um vídeo na internet e chega ao cúmulo de projetar a idéia de que um dos maiores assassinos da humanidade e o maior carrasco do povo judeu, Adolf Hitler era a reencarnação do Rei Davi, e que os judeus mortos na segunda grande guerra, seis milhões de vidas humanas somente do povo judeu,sem contar as minorias que quase foram dizimadas, como é o caso dos Ciganos europeus, eram nada mais nada menos que os soldados que ajudavam a Davi no extermínio das nações conquistadas.
Para esses livres pensadores, que expõem suas idéias mesmo que não estejam fundamentadas em documentos confiáveis, isto quando existem tais documentos, Israel deveria ser devolvida aos palestinos, mas não devia ser devolvida ao seu legitimo dono, o povo judeu.
Com relação à “grande inteligência e sagacidade” dos israelitas, basta olhar para a história e verificar em quais posições foram eles colocados quando eram levados cativos e às atividades comerciais que se viram obrigados a adotarem para quando fossem expulsos dos países nos quais viviam, pudessem carregar consigo algum pertence a fim de não perecerem.
As terras da palestina devolvidas ao povo judeu ficaram muito aquém do projeto original apresentado junto ao governo britânico e quando, o mundo, envergonhado pela conivência que tiveram em relação ao massacre ocorrido contra esse povo, do qual muito me honro de fazer parte, decidiu entregar-lhes parte do que havia sido anteriormente determinado. Isso é História e não estória ou posição de particular interpretação.4) “Não se veja em nossas palavras nenhum laivo de anti-semitismo; o que apenas fazemos é expor fatos para ilustrar duas importantes conclusões: A primeira é que, para insuflar um povo bárbaro, de índole indomável, os seus próceres tinham de incutir-lhe na mente precisamente isto:- que eram “o povo santo de Deus”, portanto bem superiores aos povos idólatras cujas terras deviam conquistar, e que era o próprio Jeová quem ordenava o arrasamento das cidades e o extermínio total dos seus habitantes.” Pg 28Entendo que o autor realmente não deva ser considerado como anti-semita, mas a mesma posição foi adotada por diversos lideres que preferiram se omitir ante a escalada do terror imposta pelos nazistas aos judeus e às várias minorias que povoavam principalmente a Europa naquela época.

Se a Bíblia é um livro escrito apenas para narrar a história de um povo rebelde, sanguinário e guerreiro por natureza, por que Ela tem se mantido atual até os nossos dias? Pois para os que nela crêem como sendo a própria palavra de Deus para a vida do homem Ela nunca se mostra ultrapassada em seus ensinamentos morais.
Como já dissemos anteriormente, precisamos estabelecer se a Bíblia serve de parâmetro para analisar não apenas os ensinamentos que o Senhor nos deu através dos profetas do Antigo Testamento, mas também e principalmente acerca dos ensinamentos de Jesus e dos apóstolos, pois é certo que os livros espíritas são repletos em referências a esses escritos. No nosso entendimento ela tem todos os quesitos para a análise que nos propusemos fazer em relação aos ensinamentos espíritas.

Que o Senhor, que deseja que todos cheguem ao pleno conhecimento da Verdade, possa nos instruir sempre, abrindo nossos corações e entendimento para compreendermos os Seus ensinamentos em busca de um mundo melhor.
Antonio Carlos

CONHECENDO O INIMIGO

C omo dissemos anteriormente, estaremos transferindo as postagens referentes ao Tema "Reencarnação- Farsa ou Realidade?" que hav...